Pular para o conteúdo principal

Você têm casa própria?


 Você têm casa própria? Pode até ser que essa não seja uma preocupação das pessoas mais jovens, atualmente eles estão com outras preocupações na cabeça, como por exemplo, ampliar sua base de seguidores no Tik Tok ou no Instagram.

Calma meu jovem, não se irrite, é só uma brincadeira com o nosso cotidiano digital, mas ao falar em casa própria, independente da idade, qual o sentimento que te domina? Você acredita que poderá um dia responder sim à pergunta "você têm casa própria?" A realidade mostra que adquirir um imóvel hoje em dia está cada vez mais difícil.

Nos grandes centros urbanos e nas cidades de perfil turístico o valor dos imóveis tem aumentado muito acima da inflação. Segundo reportagem da BBC News "Os preços das residências em todo o mundo registraram um aumento médio de 7,3% no primeiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano anterior".  A pergunta que se faz a partir desta constatação do aumento dos preços é existe uma bolha?

O que é a bolha imobiliária? Uma bolha imobiliária é um cenário onde ocorre um aumento excessivo dos preços de imóveis, sendo que essa alta não têm nenhum lastro com a realidade, com os valores reais dos bens. Ou seja, em uma bolha imobiliária os preços dos imóveis são supervalorizados e é exatamente isso que podemos perceber nos preços dos imóveis em várias cidades brasileiras, especialmente nas que são consideradas polos de atração, como algumas cidades turísticas.

Em alguns casos o preço médio do metro quadrado de uma senhora casa, senhora porque ela já tem mais de 40 anos, em uma cidade turística é mais caro que o metro quadrado de um imóvel recém construído em uma cidade não turística. O resultado é a real dificuldade dos sem casa conseguir adquirir um imóvel na própria cidade onde nasceram e o efeito da  gentrificação, que é uma espécie de elitização de certas áreas da cidade onde somente quem tem maior poder aquisitivo consegue se estabelecer deslocando parte da população para áreas mais periféricas das cidades.

Nos Estados Unidos, em 2008, a bolha imobiliária estava tão grande que acabou estourando e espalhou uma crise que atingiu vários países do mundo gerando uma crise sem precedentes. Uma alternativa para que a bolha imobiliária não estoure, mas que possa ser murchada sem causar maiores danos à economia local, é a intervenção do Estado com políticas sólidas de habitação e controle dos abusos de preços.

O maior erro que podemos cometer é querer precificar um imóvel para tirar o melhor proveito do preço de venda aproveitando a alta dos preços, essa é uma prática que não tem fim, aliás o fim ocorre com o estouro da bolha e, neste caso, todos perdem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Horários de ônibus de Pirenópolis para Brasília, Goiânia e outras cidades

 Pirenópolis é uma importante cidade turística do centro-oeste brasileiro, localizada entre duas capitais, a federal (Brasília) e a capital do estado de Goiás (Goiânia). Essa proximidade, além das belezas naturais e a hospitalidade ímpar, oferecida por seus habitantes, faz de Pirenópolis um dos mais procurados destinos turísticos do planalto central. A chegada na cidade se dá pela via rodoviária, veículos particulares e ônibus. Neste último caso, as chegadas e as partidas se dão pela rodoviária que se localiza na vila Matutina 1ª etapa. As opções de viagem não são muitas e, em alguns casos, os atrasos são constantes, pois Pirenópolis, apesar da reconhecida importância turística, encontra-se como um entroncamento a caminha, por exemplo, de Brasília, onde o grande fluxo de passageiros é visível, principalmente nos períodos de feriados e férias. Conforme aumenta a procura por passagens dos turistas que desejam retornar para suas cidades de origem, a busca por horários dos ônibus também au

Qual o pior dos efeitos colaterais da vacina contra o Covid-19?

Imagem de Juraj Varga por Pixabay   Perguntar se a pandemia acabou é uma pergunta retórica. Infelizmente a resposta é não. A pandemia ainda não acabou e por tudo o que pode ser visto quando andamos pelas ruas de algumas cidades, a verdade é que ainda vamos demorar muito tempo para voltar a algo parecido com o que chamávamos de normal aqui no Brasil. Em algumas cidades brasileiras algumas pessoas, infelizmente de todas as idades, insistem em abandonar os protocolos básicos de segurança, entre eles, o uso da máscara e o distanciamento entre pessoas para se evitar as aglomerações. Uma possível hipótese para o relaxamento das medidas de segurança pode ser pelo fato da vacinação entre as pessoas dos primeiros grupos (grupos prioritários), o que justificaria os motivos de se observar um número significativo de pessoas idosas andando sem a máscara. Esse pode ser o pior dos efeitos colaterais da vacina, achar que já é 100% imune contra o vírus ou que não possa ser um potencial transmissor do

Primeiro Post

  Aqui estou, com um novo blog, velho endereço (santiago.pro.br). Voltando à ativa com as escritas sobre o cotidiano e, quem sabe, algumas coisas relacionadas à educação e, em especial, à educação geográfica. Esse novo velho blog, espero, será o canal exclusivo de meus apontamentos, um quase diário e espero contar com a sua companhia. Os textos aqui escritos, em sua maioria, terão um começo (talvez) um meio e (certamente não terá) um fim. Existe a possibilidade de seguir o blog, faça isso e receba as novas publicações assim que elas forem para o ar. No momento é isso, um fraterno abraço e até a próxima!