Pular para o conteúdo principal

Espectadores de um filme (muito) ruim.

 Certamente você já ouviu falar da seríssima crise de energia que o Brasil está atravessando, com uma real possibilidade de apagão e aumentos sucessivos no valor da energia, aumentos esses que já estão ocorrendo.

Recebi uma matéria que foi publicada no site Monitor Mercantil que trazia o seguinte título "Reservatórios de hidrelétricas foram esvaziados para elevar lucros". Na verdade isso não é um título e sim uma denúncia, uma denúncia muito séria. Trata-se de uma denúncia, segundo o site Monitor Mercantil, feita pela Coordenação Nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), veja na imagem abaixo.


Independentemente se foi natural ou intencional o fato é que o Brasil vai ter que enfrentar uma crise no abastecimento energético e junto com ela já sentimos a pressão da volta da inflação, aumento no preço dos combustíveis, dos alimentos, do gás de cozinha enquanto os salários não são reajustados e o desemprego aumenta.

Junto com a referida matéria sobre os reservatórios das hidrelétricas, recebi a indignada fala de um amigo que depois de um desabafo, sincero, justo e esperado, disse "Teremos de REAGIR!!", no que eu perguntei Reagir como? O que fazer? A resposta dele foi um inusitado "Também não sei."

 Este é o problema que vejo nos atuais e turbulentos tempos em que o Brasil está passando. Sabe-se que o país está caminhando para um retrocesso em nível econômico e social, mas o que fazer para conter as ações que só prejudicam o provo brasileiro? Alguém sabe dizer?

A esquerda e a oposição ao governo me parece ser uma espécie de espectador de um filme muito ruim. Não é possível ficar parado esperando que o filme vá melhorar, ele não vai e a cada avanço a coisa só piora. Sabe-se que o filme deve ser interrompido, deve ser trocado por outro, mas o problema é que ninguém quer sair da cadeira de telespectador para parar esse filme ruim. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Horários de ônibus de Pirenópolis para Brasília, Goiânia e outras cidades

 Pirenópolis é uma importante cidade turística do centro-oeste brasileiro, localizada entre duas capitais, a federal (Brasília) e a capital do estado de Goiás (Goiânia). Essa proximidade, além das belezas naturais e a hospitalidade ímpar, oferecida por seus habitantes, faz de Pirenópolis um dos mais procurados destinos turísticos do planalto central. A chegada na cidade se dá pela via rodoviária, veículos particulares e ônibus. Neste último caso, as chegadas e as partidas se dão pela rodoviária que se localiza na vila Matutina 1ª etapa. As opções de viagem não são muitas e, em alguns casos, os atrasos são constantes, pois Pirenópolis, apesar da reconhecida importância turística, encontra-se como um entroncamento a caminha, por exemplo, de Brasília, onde o grande fluxo de passageiros é visível, principalmente nos períodos de feriados e férias. Conforme aumenta a procura por passagens dos turistas que desejam retornar para suas cidades de origem, a busca por horários dos ônibus também au

Qual o pior dos efeitos colaterais da vacina contra o Covid-19?

Imagem de Juraj Varga por Pixabay   Perguntar se a pandemia acabou é uma pergunta retórica. Infelizmente a resposta é não. A pandemia ainda não acabou e por tudo o que pode ser visto quando andamos pelas ruas de algumas cidades, a verdade é que ainda vamos demorar muito tempo para voltar a algo parecido com o que chamávamos de normal aqui no Brasil. Em algumas cidades brasileiras algumas pessoas, infelizmente de todas as idades, insistem em abandonar os protocolos básicos de segurança, entre eles, o uso da máscara e o distanciamento entre pessoas para se evitar as aglomerações. Uma possível hipótese para o relaxamento das medidas de segurança pode ser pelo fato da vacinação entre as pessoas dos primeiros grupos (grupos prioritários), o que justificaria os motivos de se observar um número significativo de pessoas idosas andando sem a máscara. Esse pode ser o pior dos efeitos colaterais da vacina, achar que já é 100% imune contra o vírus ou que não possa ser um potencial transmissor do

Primeiro Post

  Aqui estou, com um novo blog, velho endereço (santiago.pro.br). Voltando à ativa com as escritas sobre o cotidiano e, quem sabe, algumas coisas relacionadas à educação e, em especial, à educação geográfica. Esse novo velho blog, espero, será o canal exclusivo de meus apontamentos, um quase diário e espero contar com a sua companhia. Os textos aqui escritos, em sua maioria, terão um começo (talvez) um meio e (certamente não terá) um fim. Existe a possibilidade de seguir o blog, faça isso e receba as novas publicações assim que elas forem para o ar. No momento é isso, um fraterno abraço e até a próxima!